Quero despedir-me.

Depois de bater com a porta, normalmente, não há caminho de volta.

Estás saturado? Já deste tudo o que tinhas a dar? Só a visão da máquina de café do escritório dá-te suores frios?

Respira fundo, acontece a todos. O importante é saberes reconhecer os sinais e estares pronto para agires sobre os mesmos.

Antes de te despedires pensa em alguns factores:

Qual a razão para te sentires assim?

É normal tomarmos decisões precipitadas quando nos sentimos em baixo ou chateados. É importante que reflictas sobre as verdadeiras razões por trás da tua decisão. É algo que possas mudar? Às vezes, pequenos ajustes podem levar a uma experiência totalmente diferente. Será que queres mesmo seguir em frente? Há alguma coisa que possas resolver?

Rage

Informa-te sobre os teus direitos e deveres.

Se estás a pensar em chegar ao escritório e fazer uma grande despedida de um dia para o outro, é melhor reconsiderares - é necessário avisares, com 2 meses de antecedência, que te vais despedir ou então arriscas-te a pagar uma indemnização à empresa sobre os últimos 2 meses. Os despedimentos por iniciativa própria não têm direito a indemnização nem à grande parte das regalias que estão incluídas num processo de despedimento iniciado pela empresa. Existem diversos factores a ter em atenção ao tomar esta decisão, um dos mais importantes é o conjunto de processos legais associados ao despedimento. Não te deixes apanhar de surpresa!

Age da forma certa.

Há algum tempo atrás, o nosso prime minister, Duarte Fernandes, escreveu um óptimo post sobre a forma certa de sair de uma empresa.

Esta é óbvia… mas a verdade é que há coisas tão óbvias que nem lhes ligamos. Que nem te passe pela cabeça dar esta notícia por e-mail ou telefone. Vais deixar a sensação aos outros que não tens coragem de lhes contar na cara. Queres mesmo ser essa pessoa? Deves fazê-lo num local privado em que apenas estejas tu e a tua chefia/patrão. Quando chegares ao escritório nesse dia, procura o teu chefe e diz-lhe: “Chefe, preciso de falar consigo ainda hoje. Quando tem 10 minutos?” Se der para lhe pedires essa pequena reunião com 1 ou 2 dias de antecedência, melhor ainda, mas não deixes passar mais que isso. Fala primeiro com a tua chefia e deixa que seja esta a decidir como deves proceder no que respeita à comunicação a colegas e formalização aos Recursos Humanos. No caso de teres diferentes chefias, o meu conselho é que fales com aquele que “manda mais” ou que tem sido o maior responsável pela tua gestão. No entanto, aqui reina o bom senso.

Reúne contactos e informações.

Antes de saíres, certifica-te que não deixas escapar nenhuma oportunidade. Fala com os teus colegas sobre possíveis oportunidades e aproveita para recolher feedback valioso para poderes evoluir profissional e pessoalmente.

Pesquisa sobre o mercado.

É comum alguém chegar à entrevista sem saber exatamente qual o valor que o mercado está a pagar pela sua posição. Para te colocares em vantagem, utiliza a nossa calculadora salarial para não dares um “tiro no escuro” quando te perguntarem pelas tuas expectativas salariais. Saberes quanto mereces é necessário!

Calculadora Salarial

Atualiza o currículo e personal branding.

Eu sei, acabaste de sair e a última coisa que queres pensar é no stress envolvido em atualizar o currículo. Mas não penses nisto como uma simples atualização. Assume uma atitude retrospectiva e tira as tuas conclusões de como evoluíste no teu último cargo, porque mais importante do que o cargo que tiveste, é a experiência e lições do mesmo. A partir daqui podes simplesmente atualizar o teu LinkedIn e utilizar uma ferramenta que gera um currículo através do perfil, tal como o Resumonk.

Simples e eficiente!

Relaxa e pensa bem no próximo passo.

Uma das piores sensações que pode vir com a saída é a ansiedade. A urgência de encontrar algo novo apodera-se de nós e faz-nos querer saltar à primeira oportunidade. Ignora esta sensação. Reflecte bem sobre as razões que te levaram a sair - o que mais gostavas, o que menos suportavas - tudo o que fazia parte do teu antigo emprego e cria uma lista de necessidades pessoais para o teu próximo desafio. Podem ser algo como um bom balanço entre a vida e o escritório, mais dias de férias ou a possibilidade de trabalhar em casa. Não tenhas medo de assumir o que queres para ti. É a única maneira de assegurares que o próximo lugar será melhor que o anterior.

Resumindo, pondera bem antes de agir, pesa bem todos os factores que te trouxeram a este momento e decide muito bem o próximo passo. Lembra-te que o mercado é sempre pequeno nestas alturas e um passo dado em falso pode prejudicar-te no futuro. Se deres o passo certo, serás mais feliz e realizado.
ricardo
Published 18-08-2016
Manuel Mendes

Alguém que faz coisas com ideias. Apaixonado por estratégia, contéudo e as possibilidades do meio digital. Ainda acredita que o Darth Vader está vivo.


Toma controlo da tua carreira.

Fica a par de todas as novidades.

Subscreve.