Merge #3: Christmas Edition

O maior meetup para developers em Lisboa.

Meetups.

Nos últimos 2 anos o número de meetups em Lisboa cresceu a um ritmo alucinante. Se contarmos apenas os meetups cujo target são developers, designers, product managers e os outros papéis tipicamente encontrados numa equipa de desenvolvimento de software, temos dezenas de oportunidades para interagirmos com pessoas e comunidades nestas áreas. Isto é um excelente sinal da saúde do nosso ecosistema e da vontade de contriubuir da parte de quem os organiza.

A grande parte destes meetups chegaram a mais de 100 pessoas num instante - ex: Culture@Org, Docker Lisbon, Ruby e Rails Lisboa - e alguns ultrapassaram mesmo as 500! Exemplos são o Require(‘lx’), Break, Productized Talks e o “nosso” Merge. Este valor corresponde ao número de pessoas que se juntam a um determinado grupo. O número de pessoas que efectivamente vai aos eventos, embora menor, é também muito alto. No Merge, por exemplo, temos tido cerca de 150.

No próximo dia 10 temos o Merge 3.0, cujo número de participantes vai já nos 161 à data de hoje sem sequer termos uma agenda definida.

Com mais de 700 registos na plataforma, o Merge é efectivamente o maior meetup para developers em Lisboa. Por isto, estamos brutalmente gratos! Mas afinal o que faz as pessoas juntarem-se a um meetup?

Comecemos pelo início. O que é um meetup?

Meetups

Tomando como exemplo o meetup.com, onde estão alojados a maior parte dos meetups no mundo, o seu fundador, Scott Heiferman, decidiu criar esta plataforma imediatamente após os atentados de 11 de Setembro como uma forma de ligar pessoas que não se conheciam mas que tinham interesses comuns, tentando de alguma forma ajudar a superar o trauma causado por estes eventos.

Quando olhamos para a comunidade open-source, podemos ver que tem bastantes semelhanças. A força que um determinado grupo com interesses comuns tem é vastamente superior à de empresas que se fecham do mundo exterior. Exemplos disso são o sucesso massivo de plataformas como o GitHub, StackOverflow e de ferramentas como o Linux, jQuery e Ruby on Rails. E não podemos esquecer que, recentemente, até a Microsoft decidiu abraçar o mundo open-source.

Podemos então dizer que um meetup, uma comunidade ou um projecto open-source são 3 formas diferentes para um mesmo objectivo - contribuír para algo maior que nós, com pessoas de interesses semelhantes.

A nossa visão para um meetup - Merge

Em 2014, depois de uma semana no SXSW, decidimos que, na RUPEAL, não estávamos a contribuír para a comunidade tanto quanto desejavamos. Aliás, sendo honesto, não estávamos a contribuír nada, com a excepção de patrocínios pontuais de eventos. Daí surgiu uma questão que andou nas nossas cabeças durante imenso tempo - o que podemos fazer para ajudar developers e comunidades, e que de alguma forma ainda não tenha sido feito por cá?

As oportunidades de ajuda são imensas. Desde patrocinar comunidades e outros eventos, passando por ajuda individual a developers e chegando à nossa visão de um meetup - o Merge. Decidimos fazer todas estas, e assim nasceu a KWAN, mas aqui vamo-nos focar no Merge.

Tomando como exemplo o HNLondon, a nossa ideia é ambiciosa mas fazível. A regra é nunca, mas nunca mesmo!, ter talks que não são mais do que promoção a serviços de uma empresa. Isto torna mais difícil arranjar parceiros para ajudar a suportar os custos do evento, mas garante que o foco principal não é deturpado - dar conteúdos altamente relevantes para a comunidade. Será que conseguimos ter pizzas, copos, um bom espaço central em Lisboa e muito bons speakers a custo zero para os developers e abertos a 200 pessoas? A resposta é sim. Nas duas primeiras edições contámos com cerca de 150 pessoas em ambas e o feedback tem sido excelente.

Mas quer isto dizer que queremos ganhar aos outros eventos e comunidades? Não, longe disso, antes pelo contrário.

A nossa visão para as comunidades

Como já referido anteriormente, existem imensas comunidades para developers em Lisboa cujo esforço tem sido de louvar. NetPonto, require(‘lx’), Docker Lisbon, Culture@Org, Productized Talks, SQLPort, Scala Portugal, BREAK, Fun(Lx), Design Monday, Android LX, IoT Lisboa, Ruby e Rails Lisboa, LeanUX, Wordpress Lisboa, phplx, Open Data, XPlat, Fullstack LX, Elixir, Akka, a lista continua.

Não não somos, nem queremos ser, uma comunidade. Queremos sim ajudar as comunidades no que conseguirmos. Já tivemos meetups de comunidades no nosso escritório, tal como outras empresas fazem, e é uma forma simples de ajudar. Gostavamos de ver mais interação entre comunidades, mas isso fica para uma próxima altura.

Deixo a pergunta aos leitores deste post: o que podem fazer, por vocês ou nas vossas empresas, para ajudar as comunidades a chegar a ainda mais pessoas? Fica a pergunta. Nós continuaremos a ajudar no que conseguirmos. Se tiverem ideias, shoot us an email!

Vêmo-nos então dia 10 no Merge #3.

ricardo
Published 27-11-2015
Ricardo Fiel

Co-Fundador da KWAN, tem especial interesse em tudo o que é web, cloud e uma paixão por comunidades de developers. Pergunta constantemente o que podemos fazer para melhorar. Fã de amplificadores muito altos, adora pegar numa Rickenbacker e ensurdecer os vizinhos.


Toma controlo da tua carreira.

Fica a par de todas as novidades.

Subscreve.