Menu

Back-end, os bastidores da web | KWAN Blog

Há uns tempos mostrámos o percurso do front-end development até aos dias de hoje. Agora é vez de recuar até aos bastidores da web e mostrar o que é, e de onde veio o back-end development. Vem connosco fazer uma viagem no tempo. Don't worry, where we're going we don't need roads.

Viagem no tempo

O bê-á-bá do desenvolvimento back-end

Em 2016, é mais importante do que nunca, uma empresa ou empreendedor mostrar-se ao mundo através de um site deslumbrante. No entanto, poucos utilizadores têm noção do esforço necessário para conseguir oferecer-lhes aquilo que muitos tomam por garantido.

A web pré-1994

Quando a Internet se tornou user-friendly, ainda os anos 90 eram jovens, não existia aquilo a que hoje chamamos de back-end. A Internet da altura, assentava em formas básicas de código HTML, que eram acedidas por um computador que fazia a ligação (muitas vezes lenta) ao servidor onde o site estava alojado.

Modem 56k

Uma Internet feita de HTML b√°sico significava que os utilizadores apenas podiam ver as p√°ginas est√°ticas, como elas eram constru√≠das, ao contr√°rio de hoje, onde as p√°ginas s√£o populadas por conte√ļdos din√Ęmicos. N√£o havia a possibilidade de visitar sites com output de HTML customizado consoante os pedidos do browser.

CGI & o Nascimento do Desenvolvimento Back-end

Felizmente, os anos de 93 e 94 trouxeram consigo o CGI (Common Gateway Interface), permitindo aos browsers interagirem directamente com os sevidores, executando os pedidos em real time, trabalhando a informa√ß√£o de forma din√Ęmica.

Claro que os pedidos exigem processamento em background e execu√ß√£o de v√°rias aplica√ß√Ķes. √Č por isto que o actual desenvolvimento back-end √© t√£o importante. Ao contr√°rio do desenvolvimento front-end, que √© respons√°vel por tudo aquilo que o utilizador v√™, o desenvolvimento back-end permite que a gest√£o da base de dados e processamento no servidor aconte√ßa nos bastidores, longe dos olhares dos utilizadores, mas que s√£o essenciais para a interac√ß√£o entre os v√°rios n√≠veis de informa√ß√£o presente no site.

Ferramentas para Back-end Development

Para que as aplica√ß√Ķes e as base de dados sirvam pedidos individuais de utilizadores, os back-end developers usam linguagens de programa√ß√£o como Ruby on Rails, PHP, Python ou Java. Tal como a integra√ß√£o e utiliza√ß√£o de ferramentas MySQL, Oracle e bases dados SQL s√£o necess√°rias para que os processos das aplica√ß√Ķes web sejam encontradas, gravadas e enviadas de volta para os utilizadores.

O Presente & Futuro do Back-end Development

Recentemente, o back-end web development tem vindo a incorporar a cria√ß√£o de API's (Application Programming Interface) para aplica√ß√Ķes m√≥veis. Tendo em conta o crescimento exponencial da popularidade do cloud computing, o desenvolvimento back-end "serverless" parece lan√ßado para desempenhar um papel de relevo no futuro do desenvolvimento web.

Mobile Genius

O front e o back-end development estão interligados e partilham, naturalmente, o mesmo futuro. Ambos passam definitivamente pelo mobile. Isto quer as experiências mobile venham ou não a substituir a tradicional forma de aceder à web via desktop, o back-end development tem um papel garantido em todo o tipo de web deployments.

Linguagens mais vers√°teis est√£o a emergir e v√£o potenciar o futuro do back-end entre as v√°rias plataformas. A linguagem Clojure, por exemplo, uma linguagem funcional baseada em Lisp, tem ganho trac√ß√£o e oferece vantagens de integra√ß√£o muito relevantes, prometendo facilitar a vida de quem trabalha em back-end. √Č uma linguagem "simplificada", que integra v√°rios motores como o Java virtual machine, Common Language Runtime e o JavaScript. O futuro passa tamb√©m por aqui.

Salários & Formação

No que toca a sal√°rios, todos querem saber quanto ganha um back-end developer. Os n√ļmeros flutuam dependendo, evidentemente, de v√°rios factores. Da experi√™ncia, da forma√ß√£o, etc. Na KWAN queremos ajudar-te a perceber quanto mereces, tendo em conta a tua realidade profissional e, para isso, cri√°mos uma Calculadora Salarial, que podes consultar e introduzir os teus dados de forma an√≥nima.

Como em tudo na vida, ningu√©m nasce a saber programar para back-end. Para desempenhar essas fun√ß√Ķes, podes apostar em forma√ß√£o para as linguagens espec√≠ficas, como as j√° mencionadas neste artigo: Ruby on Rails, PHP, mySQL, Python, Clojure, etc. Curso de Web Development tamb√©m s√£o um bom ponto de partida, ainda que normalmente mais abrangentes, podem dar-te sa√≠da para o caminho do full-stack development (front-end & back-end).

Leave a comment