Menu

6 Dicas para Encarar uma Vaga Internacional em Quality Assurance

31 Maio, 2022
De programador para QA e do Brasil para a Europa.

Hello World é a primeira frase aprendida por um aspirante a qualquer carreira de TI e que teve seus primeiros contatos com uma linguagem de programação. Esse artigo caberia muito bem para alguém buscando carreiras internacionais de Dev, mas diferentemente disso, venho trazer 6 dicas a partir da minha trajetória como QA e meu objetivo de alçar voos maiores, nomeadamente a Europa.

Uma breve trajetória

O mundo de QA começou pra mim quando eu almejava uma carreira de Dev, sim eu já tive vontade de ser um desenvolvedor backend, mas durante o meu percurso a área de Testes foi uma descoberta no meu primeiro estágio, em meados de 2018. Tive de lidar com diversas ferramentas, stacks e conceitos fundamentais da ciência da computação. Já em 2020, me deparei com um novo desafio que exigiram stacks que vão desde Teste de API a Teste em Aplicações Mobile (IOS e Android). Por último e não menos importante, a última vaga antes de estar em terras portuguesas, em 2021, numa empresa totalmente voltada a testes manuais e automatizados, onde me vi implementando código e aplicando conhecimentos de computação e programação. 


De seguida, as minhas dicas, para todos os profissionais de TI - principalmente QAs - que estão no Brasil tentando iniciar uma carreira no estrangeiro.

6 Dicas para Encarar uma Vaga Internacional em Quality Assurance


1. Torne sua trajetória a mais diversa possível

Não tenho dados estatísticos para dizer se a stack X ou Y são determinantes para adquirir uma vaga fora do Brasil, mas te garanto que quanto mais skills você acumular durante a sua carreira, melhor para o mercado competitivo e diversificado de QA, seja ele voltado para Testes Manuais, Automatizados e um híbrido desses.

Foi assim que vi minhas portas se abrindo para vagas fora, ter tido experiências com testes manuais (Desktop, API, Web e Mobile) e automatizados (Web, API). Quando se está disposto a aprender novas ferramentas e abordagens , a possibilidade de surgirem vagas que vão de encontro a suas habilidades é maior.

2. Perceba como a equipe que está inserido, trabalha e toda a regra de negócio envolvida

Aqui cabe outra dica para quem está estudando ou se preparando para entrar na área de QA: tente sempre perceber como as posições de TI trabalham e lidam com a aplicação e/ou serviço em questão. Essa compreensão vai ao encontro de duas das habilidades mais importantes da área de Quality Assurance: a capacidade de abstração e detalhamento, por exemplo, de regras de negócio, como são os módulos da aplicação (mesmo que superficialmente) e qual é o papel de cada um no time.

3. Habilidades-chave para vagas de QA

Como mencionado na primeira dica, quanto mais diverso forem suas stacks melhor para vagas de QA além-mar. Logo, habilidades voltadas para testes manuais e automatizados são muito bem-vindos, o que me ajudou bastante no começo foi ter participado de bootcamps, maratonas de programação, disciplinas de Engenharia de Software na faculdade e cursos online (em programação e QA). Com as maratonas adquiri a criatividade de testar casos de borda, tipos de entrada, fluxos negativos de modo a passar no online judge (sistema desenvolvido em maratonas de programação e competições para avaliar se o código gera saídas esperadas para certas entradas, em outras palavras se o código está certo com base num algoritmo ), tudo isso moldou meu raciocínio tanto em QA quanto em Programação. Com os cursos me atualizei e pude entender o roadmap que se deve seguir para se tornar um Analista de QA.

Algumas plataformas e sites que utilizei para me preparar:

Test Automation University - um site muito bom para quem quer melhorar suas competências técnicas relacionadas com QA e Automação de testes.

How to Think Like a Computer Scientist: Interactive Edition - uma plataforma muito completa no que toca à aprendizagem de Ciência da Computação e algoritmos através de Python.

Hackerrank - uma ótima forma de aperfeiçoar e desafiar o seu entendimento de Data Structure a algoritmos.

Stacks durante minha trajetória:

  1. Algoritmos e Lógica de Programação em alguma linguagem em alta: Java, Python, C#

  2. Programação Orientada a objeto

  3. Banco de Dados e SQL

  4. Testes manuais (tipos e estratégias de Teste) com base no Test Pyramid

  5. Entendimento de uma API (utilizando Postman) e Protocolos Web

  6. Testes automatizados (BDD,TDD) e frameworks de Teste: JUnit, Pytest, NUnit

  7. Documentação de software e Regras de Negócio 

4. Soft Skills importantes

Não somos só feitos de habilidades técnicas, o que nos torna melhores e bem mais preparados independente da carreira escolhida, são nossas soft skills. Em termos de QA, você deveria prezar por ser: 

  • Analítico - perceber como uma aplicação funciona e os seu mínimos detalhes é uma habilidade muito importante quando é preciso montar um planejamento e estratégia de testes, é aqui que organizamos nossa mente para testar e como o vamos fazer. A palavra abstração está muito ligada a essa habilidade também

  • Persistente - poderia definir aqui também com a palavra paciência, pois não é todo dia que temos o olhar apurado para testar, mas com o tempo a precisão e acurácia melhoram, mas devemos sempre ser persistentes

  • Ouvinte - essa habilidade apesar de estar na terceira posição, não diminui sua importância, pois é ela que vai te dar a noção de como as coisas funcionam através de reuniões, passagem de conhecimento, etc. Assim como o feedback de seus colegas de trabalho. Sempre tente perceber o que se passa à sua volta, pode te poupar tempo durante seu planejamento e na efetivação dos testes. Por último, está totalmente ligado às dicas 4 e 5.

  • Criativo - ser criativo parece soar como algo voltado tão somente para desenvolvedores ,mas na verdade ele está intimamente ligado também com a sua capacidade de criar fluxos de testes e maneiras de gerar falhas no sistema (em poucas palavras, esse é seu maior papel). Aqui cabe dizer que testes manuais são os que mais exigem essa habilidade.

  • Negociador - por último e não menos importante, saber negociar está ligado ao contexto de entregas e relação com sua equipe, pois todo o ciclo de software é dependente de decisões humanas. Um analista ou tester deve saber negociar e esclarecer que o papel dele é de suma importância na entrega de uma feature ou sistema, mas pode ser debatido, argumentado quando a deadline está em voga.

Se quiser saber mais sobre as soft skills mais importantes para profissionais de TI, consulte esse artigo.

5. Uso do inglês

Saber inglês é um must-have em qualquer carreira internacional, não é diferente para QA. A minha dica aqui é fazer o máximo para tornar o seu dia a dia imerso na língua inglesa, ou seja, tente virar a chave para o idioma. Desde trocar o idioma no seu telemóvel até entrar num curso/grupo de idiomas.

Pessoalmente, vi meu nível de inglês crescer depois que comecei a ouvir podcasts em inglês (sugiro esses dois: All Ears English, English Across The Pond) e participar ativamente em um grupo de inglês (com pessoas de diversos países), apesar de ter feito 4 anos de inglês durante o ensino médio e faculdade, isso me ajudou no Writing e Reading mas o Listening e Speaking só evoluiu depois.

Em termos do uso do inglês para a carreira de QA, minha dica é buscar fazer cursos e assistir vídeos técnicos da área, no idioma, isso vai deixar sua mente confortável. O que sugerem bastante diante disso, é começar colocando legenda em Português, passar para Inglês e terminar retirando-a.

Outro ponto é treinar entrevistas em inglês, para cada vez mais perceber o padrão e o que é mais perguntado pelos recrutadores. Algo que me ajudou foi criar uma lista de perguntas mais feitas em inglês e simular respostas (escritas e faladas).

6. Mantenha seu portfólio (Linkedin) atualizado para vagas fora

Essa dica é de suma importância para  que você tenha um cv ou resume alinhado ao que é pedido no contexto europeu. Uma delas é ter um currículo traduzido para a língua inglesa, onde será um bom indicador do seu nível no idioma e podendo facilitar também o lado do recrutador, caso se depare com empresas que utilizam-a durante todo o processo de aplicação.

Outra que gosto de colocar é sempre encontrar ou pedir um modelo de currículo a alguém que já enfrentou o mercado internacional e pode levantar dicas valiosas de posicionamento de informações, melhores práticas, termos chave, informações úteis, entre outros 

Tenha uma conta no LinkedIn, ele é a porta para o recrutador entender os projetos, experiências e stacks que você já tem, então sempre mantenha-o atualizado com links de seus projetos e repositórios. Com base nos meus processos, percebi que os desafios que são exigidos para uma certa vaga podem acrescentar em seu portfólio, por exemplo através de projetos no GitHub, assim como desafios pessoais em que você implementa com uma tecnologia nova.

6 dicas para encarar uma vaga internacional em Quality Assurance: Considerações Finais

Caso esteja considerando começar essa jornada, indico fortemente se candidatar na Kwan, pois deixei por último a parte que te trará encorajamento para começar seu plano Portugal.

Se você leu minha breve trajetória, aqui vai um bônus deixado para o final: durante o ano de 2019, tentei me candidatar para uma vaga através do site da KWAN e consegui minha primeira entrevista internacional, entretanto devido ao resultado negativo, percebi que deveria reforçar muitas stacks antes de tentar de novo uma vaga fora do Brasil. Após 3 anos, com meu inglês mais apurado e mais experiente tecnicamente, consegui a tão sonhada vaga, a partir da mesmo empresa que havia tentado. 

Consequentemente, hoje trabalho em uma das empresas que pertencem ao mesmo grupo da KWAN, o InvoiceXpress.

Depois de alguns meses vivendo e trabalhando em Portugal, não poderia estar mais feliz! 🤩

Desejo-lhe boa sorte na sua preparação e aplicação, vai ver quem todo o trabalho vai valer a pena... e quem sabe ainda vamos ser colegas! Saiba mais sobre a KWAN, aqui.

Leave a comment